outras
letras

HÁ JÁ MUITO TEMPO QUE NESTA LATRINA O AR SE TORNOU IRRESPIRÁVEL

   

THE MUSIC IS FREE

INSTRUMENTAL

AVISO À POPULAÇÃO
[Adolfo Luxúria Canibal / Adolfo Luxúria Canibal]

atenção! atenção! aviso à população! atenção! atenção! aviso à população! esta madrugada deu-se uma fuga do sector dos lazeres. o grupo mão morta abandonou o nicho alternativo que ocupava no mercado do entretenimento. os seus membros, aptos a exercer diferentes ofícios, podem facilmente infiltrar-se noutros sectores da nossa democracia. são considerados perigosos. repito: são considerados perigosos! qualquer informação relativa a estes indivíduos deve ser imediatamente comunicada ao jornalista da sua área. atenção! atenção! aviso à população! atenção! atenção! aviso à população!

ADOLFO LUXÚRIA CANIBAL

olá! o meu nome é adolfo luxúria canibal e sou o porta-voz do grupo.

ANJOS DE PUREZA
[Adolfo Luxúria Canibal / Vasco Vaz]

somos anjos de pureza evadidos dos lazeres carregamos a tristeza não trazemos mais haveres era tudo em vão um brincar sem dor sem qualquer paixão que nos desse ardor nosso sonho era o arrepio deste mundo a ser mudado só tivemos o fastio de um objecto a ser comprado era tudo em vão um brincar sem dor sem qualquer paixão que nos desse ardor foi apenas um lugar onde à falta de faca aprendemos a manejar os cotovelos e o olhar somos anjos de pureza evadidos dos lazeres carregamos a tristeza não trazemos mais haveres

MIGUEL PEDRO

olá! o meu nome é miguel pedro e sou o intelectual do grupo.

EM DIRECTO (PARA A TEELVISÃO
[Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro]

avanço lesto por entre a multidão insane presa de ecrãs de teelvisão alarmes soam em todo o quarteirão disparos, gritos, lançando a confusão é guerra sem quartel de empresas rivais na busca do controlo de mercados locais ou então... ou então... encena-se um directo para a teelvisão sirenes passam em grande aceleração olhando para ecrãs de teelvisão o caso surge com outra dimensão imagens com voz servindo de guião é guerra sem quartel de empresas rivais na busca do controlo de mercados locais ou então... ou então... encena-se um directo para a teelvisão

MENORES NA PUBLICIDADE
[Adolfo Luxúria Canibal / José Pedro Moura]

é a favor ou contra o uso de menores na publicidade?

ATENTADO NO METROPOLITANO

atentado no metropolitano provoca onze mortos e três dezenas de feridos. imagens de terror as vividas esta tarde na estação do mercado de capitais e que a cadeia de teelvisão otv transmitiu em directo. eram 16 e 45 quando dois encapuçados irromperam no átrio da estação e dispararam indiscriminadamente sobre as pessoas que aguardavam a chegada do metro. segundo o serviço de protecção civil, cinco dos trinta e três feridos estão em estado grave. a tragédia podia ter sido muito maior se minutos antes não tivesse passado um comboio que praticamente esvaziou a estação. o atentado ainda não foi reivindicado. pelas suas características, a polícia acredita que tenha sido obra da organização terrorista brum - brigada de reabilitação universal das madrastas.

FALÁCIA DO RENTÁVEL
[Adolfo Luxúria Canibal / António Rafael]

ao serviço da falácia o pensar unificado na redoma do rentável é pensar manipulado enterrado o machado de guerra sob o peso da algoz propaganda dão-se loas a quem nos encerra na servil condição de demanda como a negra escuridão que sonega o existente muita luz torna indistinto o que está bem evidente enterrado o machado de guerra sob o peso da algoz propaganda dão-se loas a quem nos encerra na servil condição de demanda

JOSÉ PEDRO MOURA

olá! o meu nome é josé pedro moura e sou o drogado do grupo.

AS TETAS DA ALIENAÇÃO
[Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro]

testemunha ocular da miséria mental que é mistificar a tristeza banal de viver a juntar tanta coisa vital para a vida vulgar parecer divinal e com isso ocultar a pobreza real de um gesticular reduzido a sinal não consigo calar a origem deste mal que nos anda a atacar a todos por igual tudo assenta no consumo e produção são as tetas desta nossa alienação trabalhar ou morrer é-nos dado escolher o trabalho é direito transmutado em dever não se pode morrer já lá diz o preceito e se formos a ver não há nada a escolher para sobreviver o trabalho é foral não morrer consumindo não se chama viver o consumo é o aval para se ir produzindo e com seu acrescer fecha o ciclo infernal tudo assenta no consumo e produção são as tetas desta nossa alienação são as tetas o consumo e a produção são as tetas da nossa alienação

RÁDIO VARIEDADES-HOJE
[Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro]

Foram os Mão Morta com um tema do seu mais recente disco "Há Já Muito Tempo que nesta Latrina o Ar se tornou Irrespirável". Depois de uma espectacular fuga do mercado de entretenimento e de uma meteórica aparição no mercado da cultura, com "Müller no Hotel Hessischer Hof", os Mão Morta surgem agora a atacar a sociedade de consumo e o lugar de mercadoria que ela lhes destina. O novo trabalho, já à venda nas boas discotecas, levanta fundadas interrogações quanto ao futuro do grupo. É que a partir daqui nada será como dantes.

CIDADÃO INFORMADO
[Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro]

um cidadão informado lê o jornal e vê tv.

É UM JOGO
[Adolfo Luxúria Canibal / António Rafael]

é um jogo a que não podemos jogar um jogo de que somos os espectadores um jogo de desconhecidos jogadores um jogo a que nunca iremos ganhar olha a menina a dançar tão bela no seu saltitar canta a roleta a rodar mistérios da sorte e do azar olha a menina a dançar quem vai com ela ficar? canta a roleta a rodar mistérios da sorte e do azar é um jogo feito para nos comandar um jogo de que desconhecemos as regras xadrez de que se retiraram as negras um jogo feito para nunca acabar olha a menina a dançar tão bela no seu saltitar canta a roleta a rodar mistérios da sorte e do azar olha a menina a dançar quem vai com ela ficar? canta a roleta a rodar mistérios da sorte e do azar é a nossa a vida que está em jogo é a nossa a vida que outros jogam

VASCO VAZ

olá! o meu nome é vasco vaz e sou o cigano do grupo.

 

ALDEIA GLOBAL
[Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro]

anda eufórica toda a gente com a era da informação fechada em casa ligada à rede ou grudada à teelvisão na vertigem das notícias em constante circulação sempre mais e mais depressa tornou-se a grande obsessão "é a aldeia global" - explicam num júbilo imbecil, prontos a desfilar o rosário de maravilhas dos novos tempos, sem discernirem que aldeia sempre foi o sinónimo de isolamento e conformismo, de mesquinhez, aborrecimento e mexerico e que, de qualquer modo, o que verdadeiramente importa se mantém secreto. do além-mar ou da mafia julgam que tudo se pode saber econonomia ou política? o difícil é o escolher crimes de sangue relatos de amor são mais fáceis de perceber "é a aldeia global" - explicam num júbilo imbecil, prontos a desfilar o rosário de últimos acontecimentos, sem discernirem que, contrariamente ao mundo observado directamente, em que a relação com o real é absoluta, estão a consumir meros resumos simplificados da realidade, manipulados num fluxo de imagens de que são simples espectadores e cuja escolha, cadência e direcção não controlam nem têm possibilidade de verificar a veracidade e em que, finalmente, no frenesim meticulosamente planeado de dados surpreendentes, o que verdadeiramente importa se mantém secreto. o que importa é saber onde raio se oculta o poder

YRACUB
[Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro]

O desejo tem um nome: yracub!

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES

Terminou sem qualquer acordo a 23ª conferência das nações. Reunida com o objectivo de discutir um limite para o número de vítimas de atentados causados pela concorrência empresarial, sobre a mesa estava uma proposta das organizações não governamentais para reduzir, até 2010, o número global de vítimas em 20%, menos um milhão do que as actualmente verificadas. A União dos Estados Avançados, responsável por mais de 50% dos números existentes, considerou a proposta irrealista, com consequências catastróficas para a economia da união e economia mundial. No que apelidou um gesto de boa vontade, a U.E.A. propôs um compasso de espera para a reconversão da indústria, através da manutenção do actual número de vítimas até 2010. A Comunidade de Estados concorda em reduzir o número de vítimas mas defende uma calendarização diferente: propõe menos 5% até 2001, 10% até 2010 e 20% até 2015. O escalonamento é justificado com os custos de adapatação que a redução implica. Por sua vez, a Federação dos Estados do Sul, defensora da redução global proposta, reivindica um aumento de 40% da sua quota de vítimas, de forma a atingir o nível da União dos Estados Avançados. Face ao impasse das negociações foi marcada nova conferência das nações para 2001. Até lá, estima-se que o número de vítimas ultrapasse os seis milhões por ano.

CANÇÃO DA REVOLTA
[Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro]

desfraldemos a bandeira trapo negro bebedeira e brindemos à revolta nossa musa desenvolta contra a pilhagem da volúpia a volúpia da pilhagem ocupemos a trincheira que a jornada é guerreira e cantemos a recusa deste mundo que nos usa contra a pilhagem da volúpia a volúpia da pilhagem

A REVOLUÇÃO É O REMÉDIO
[Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro]

a revolução é o remédio para os que sofrem de tédio

ANTÓNIO RAFAEL

olá! o meu nome é antónio rafael e sou o judeu do grupo.

VAMOS FUGIR
[Adolfo Luxúria Canibal / António Rafael]

tenho os passos vigiados no labirinto das notícias. das estatísticas não consigo escapar. quimeras mercantis e mexericos mediáticos invadem-me a solidão. a realidade não existe. a fuga é para lado nenhum. tive uma ideia, tive uma ideia, vamos fugir! tive uma ideia, tive uma ideia, foge comigo! tive uma ideia, tive uma ideia, vamos fugir! tive uma ideia, tive uma ideia, foge comigo! a informação está em toda a parte. mil olhos nos vigiam. ninguém sabe quem dá as ordens. mas elas cumprem-se. a teelvisão transmite-nos a realidade, transmite-nos as ordens. eu cumpro. a única fuga é a loucura. tive uma ideia, tive uma ideia, vamos fugir! tive uma ideia, tive uma ideia, foge comigo! tive uma ideia, tive uma ideia, vamos fugir! tive uma ideia, tive uma ideia, foge comigo! tenho um grilo falante um grilo falante um pateta desastrado desastrado um cavaleiro andante cavaleiro andante um pardal alucinado pardal alucinado tenho uma top-model uma top-model um vingador implacável implacável tenho um prémio Nobel tenho um prémio Nobel uma amante insaciável insaciável tenho um serial killer tenho um serial killer tenho deus disfarçado deus disfarçado sou o maior dealer sou o maior dealer que se encontra no mercado

SAPO

olá! o meu nome é sapo e sou o proleta do grupo.

O FIM DA HISTÓRIA
[Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro - Vasco Vaz]

esquecida a perspectiva da história colectiva todos falam sem temer que os possam desdizer sem futuro nem passado o presente é instante a outro instante colado sem futuro nem passado não se pode aferir se nos estão a mentir se há mesmo novidade ou se é truque de mercado não sabendo a verdade do problema colocado não se pode definir a estratégia a seguir sem futuro nem passado o presente é instante a outro instante colado sem futuro nem passado sem futuro nem passado o presente é instante a outro instante colado sem futuro nem passado um mundo assim governado é um mundo condenado

EUFORIA NA BOLSA

mais um dia de euforia na bolsa de valores, com as acções da elektra, s.a., a subirem perto de 400%. esta manhã, com a abertura do mercado, as acções da elektra, s.a. estavam cotadas a 1100$00, preço já bastante acima do seu valor nominal de 500$00. apesar disso, as ordens de compra sucederam-se durante todo o dia e quando do encerramento do mercado as acções da empresa estavam a ser transacionadas a 5200$00. os especialistas prevêem que durante os próximos dias se mantenha a tendência altista. a elektra, s.a. explora os novos eléctricos rápidos, que neste momento são o meio de transporte mais utilizado pela população. os novos eléctricos, a que também chamam metro de superfície, são tidos como o meio de transporte mais seguro, sobretudo depois da série de atentados que nos últimos tempos ocorreram no metropolitano. estima-se que a elektra, s.a. venha a terminar o ano com um lucro de 3 milhões e meio de contos, o que pode explicar o interesse dos investidores pelas acções da sociedade.

COMÉRCIO TRADICIONAL
[Adolfo Luxúria Canibal / José Pedro Moura]

o comércio tradicional deseja-lhes um feliz natal.